quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

E 2017 Foi...

...de Anitta!




Bem que tentei, mas não consigo fazer o balanço de final de ano. É como se não tivesse visto 2017 passar.  Vivi o ano tão comprometido com certas coisas (leia-se, trabalho), que o ano acabou sendo divido por acontecimentos. E eu preciso falar... dela!

A primeira parte de 2017 pra mim foi até o mês de abril, mais precisamente no dia 29 de abril quando teve o show aqui no Rio de Janeiro em que Anitta convidava Maluma. Sim, para quem não lembra, o início do ano entre os dois foi maravilhoso. O colombiano veio ao Brasil se apresentar com Anitta e enlouquecer todo o público. O que de fato ocorreu na apresentação dos dois no Vivo Rio, que teve os ingressos esgotados. E acredito que o mesmo êxito se repetiu em São Paulo. O que não poderíamos saber é que pouco tempo depois todo o amor iria virar ranço.

Logo em seguida, no mês de maio, tivemos um segundo "marco" do ano, quando surgiu a parceria de Anitta e Iggy com a música Switch - que não foi o hino que poderia ter sido e Azalea ainda irá se arrepender por isso, podem anotar no caderninho. E, não satisfeita de fazer um lacre desses, Anitta ainda me lança sua primeira música em espanhol, Paradinha, no dia 31 de maio.

No dia 1º de junho, quando menos esperávamos, tivemos o lançamento do áudio de Sua Cara, parceria entre Anitta, Pabllo Vittar e Major Lazer. Não preciso nem dizer que essa foi A MÚSICA DO ANO. Tocou em tudo quanto foi lugar, apresentou Pabllo para grande massa e ainda criou uma expectativa nunca antes vista para um videoclipe. Todo mundo queria saber como seria visualmente o encontro entre Anitta e Pabllo no deserto do Marrocos. Teríamos cobra ou não teríamos cobra? Essa foi uma grande questão que perdurou até...

30 de julho foi lançado o clipe de Sua Cara. Anitta e Pabllo se apresentaram juntas na festa COMBATCHY, idealizada por Anitta. Esse foi um dos grandes acontecimentos deste ano, sem sombra de dúvidas. Seja pelo grande número de views, seja pelo clima que estava no ar, foi um domingo focado nas duas figuras musicais.

Já no mês seguinte, agosto, mais precisamente no dia 20, Anitta voltou a causar e marcar o ano. Subiu o morro do Vidigal para gravar seu clipe, que prometia seu retorno ao ritmo que a fez conhecida: o Funk. Vai Malandra foi rodado e pouco se sabia sobre a faixa. Só que a parceria traria gente conhecida por aqui e um rapper de fora. E se você pensa que essa foi a única novidade do mês, aí que você se engana. Dia 31 Anitta anunciou um projeto: CheckMate. Uma música com clipe por mês, em qualquer língua: inglês, espanhol ou português. 

Em setembro, dando início aos trabalhos, Anitta samba na cara de todo mundo, de fãs e de hatters, e lança Will I See You. Primeira música em inglês e com uma pegada totalmente oposta do que estávamos acostumados com ela. Totalmente bossa nova. Não foi um estouro, assim como a própria cantora disse que sabia que não seria, mas Larissa começou a mostrar que sua persona estava fazendo um jogo bem maior do que poderíamos prever. 

Outubro foi o momento de conhecermos It's That For Me, primeira incursão da Anitta em música eletrônica, mas não só isso. A diva pop ainda "comprou" outra briga e foi gravar seu clipe na Amazônia. E isso é a única coisa feita para o público brasileiro. O conceito do clipe não mira na gente, mas no mercado exterior, que amou o que viu e entendeu referências, além de acharem divertido. Uma das músicas favoritas de se cantarolar de todo o projeto, com toda certeza. "Isso é pra mim????!!!!!".

Novembro chegou com Downtown. Retomando a parceria com J Balvin, Anitta trouxe uma nova música em espanhol, mas com título em inglês. Quase igual ao que ela fez com Paradinha, sabe? Só que dessa vez a palavra chave era da terra do tio Sam. Dowtown foi, o clipe + música, o combo perfeito. Anitta e J Balvin possuem sintonia e as vozes combinam. Tanto que quando Balvin anunciou que queria gravar mais músicas com Anitta, me senti animado. Acho que eles possuem tudo para serem parceiros musicais e darem certo juntos. Algo meio como Sharika e Alejandro Sanz. Falando nisso, antes de Downtown acontecer, Anitta foi lá pra fora se apresentar em uma homenagem para o próprio Alejandro. Quer dizer...

E se você acha que novembro de Anitta já tinha acabado, está muito enganado amiguinho, a moça gosta de trabalhar e foi lá fazer participação no novo DVD do Harmonia do Samba. Sim, não sabia que o grupo ainda existia e muito menos que Anitta era fã dos caras. Mas ela foi lá e gravou sua participação e no dia 17 de novembro a música foi lançada. Muitos acreditavam que seria A MÚSICA do Carnaval... Mas faltava ainda uma música do projeto CheckMate, não é mesmo? 

Dezembro veio e o suspense começou junto. Quando Anitta lançaria Vai Malandra, última música do projeto? Ninguém sabia ao certo. O desempenho de Downtown assustou algumas pessoas. A música estava viralizando bem. Tocando em outros países e elevando Anitta no Spotify. Então começou o papo que Vai Malandra seria lançada no dia 31 de dezembro, dentro do prazo, mas um dia bem atípico. Afinal, a própria havia sido revelada como atração principal do ano novo em Copacabana. Nada mais justo, não é mesmo? Mas os fãs reclamaram, a imprensa ficou no pé... Anitta então fez sua participação no Caldeirão de Ouro, que só será exibido em 2018, e foi encontrar J Balvin para gravar a parceria misteriosa dos dois, Machika. Em seu retorno, Anitta anunciou que sua última música do projeto CheckMate seria lançada no dia 18 de dezembro de 2017.

Vai Malandra foi o sucesso que Anitta esperava. Agradou seu fãs brasileiros, deixou gringos babando e o mundo se perguntando quem é ela. E quando todo mundo ficava achando que não havia mais pra onde Anitta crescer, foi revelado que J Balvin não havia chamado Anitta para participar de uma música qualquer, mas possivelmente da música que será tema da próxima Copa do Mundo. Já imaginaram Anitta se apresentando na abertura da Copa do Mundo na Rússia? Pois é, e vocês achavam que Anitta não teria planos para conquistar o mundo em 2018?

Pois etão muito enganados, ela continua sabendo muito bem o que está fazendo, tanto que é impossível de falar sobre 2017 e não citá-la. Sucesso é isso, meus amigos, e o dela está, obviamente, só começando.

Leia Também:

Leandro Faria  
Silvestre Mendes, o nosso colunista de quinta-feira no Barba Feita, é carioca e formado em Gestão de Produção em Rádio e TV, além de ser, assumidamente, um ex-romântico. Ou, simplesmente, um novo consciente de que um lance é um lance e de que romance é romance.
FacebookTwitter

Nenhum comentário: