terça-feira, 5 de dezembro de 2017

É Biscoito que Você Quer?





Não, não vamos passar nenhuma receita de biscoito aqui, vocês que procurem no YouTube. E aí, como é que ceis estão, hein??? Por aqui tá numa boa.

Desde quando a Internet era só mato, vídeo da barata falando palavrão, aquele outro da vaca louca que dava umas gargalhadas distorcidas lá, com os assistentes do Office, e muito mais, a galera já amava se expor na web, não é mesmo? mIRC, Fotolog, Flogão, Orkut, My Space, MSN, e por aí vai. Sempre tinha aquela foto especial, com um quilo de efeito, sempre evidenciando o volume dos seios, ou o suposto tanquinho, ou a bunda, os olhos, a boca com bico de peixe/pato, que dava aquela inchadinha na bochecha, sabe? Pois é, esse tipo de foto. E tava tudo muito que bem, a gente seguia em frente com a vergonha alheia e tava tudo certo. 

E assim como muitas coisas, esse tipo de foto também evoluiu. Siim, meus amigos e minhas amigas, a galera foi mudando a forma de se expor fotograficamente na Internet, e não é de nudes que eu tô falando. Tudo começou com pessoas magras, fortes, saradas, definidas fisicamente, postando fotos com legendas do tipo: "Ai, tô gordo", "Gordinha, já apago rsrsrsrsrs", "Correndo atrás do prejuízo do final de semana", ou apenas colocando um emoji de baleia. Com razão, uma parcela da web começou a se irritar profundamente com isso, porque a pessoa é toda trincada, tem um peitoral maravilhoso, um abdome que nossa senhora, tem as curvas perfeitinhas, bunda lá em cima e tal, e fica mandando essa? Ah vá, né?

Foi então que o pessoal que mora na Internet resolveu gourmetizar o termo Confete pra Biscoito, como uma forma de dizer que a pessoa tá passando fome e se alimenta de likes, o que faz todo sentido pra mim. E a coisa toda foi se tornando grande demais, com a galera postando foto seminua nas redes sociais pra mostrar o "espelho sujo", a "bagunça do quarto", a "cara de sono", o "cabelo desarrumado", e também pra promover a solteirice (essa eu já usei algumas vezes, admito). 

O que irrita quem não é fã da arte da Biscoitagem é o fato de essas pessoas usarem uma desculpa pra se exibir. Ao invés de dizer: "Gente, olha só o tamanho da minha bunda!", não, elas vão lá e tascam um cachorro na foto, ao lado, com uma legenda fofinha sobre o pobre animal que não faz ideia do que tá acontecendo; ou também, ao invés de dizer: "Caralho, tô muito gostoso, olha só esse corpo!", não, vai lá e tasca a legenda: "É cara de sono que chama?"; isso quando não fazem o mesmo com ressaca, né? Porque sim, tem uma galera que bebe tanto, mas tanto, que não se contenta em apenas beber não, ela tem que exibir isso todo santo dia. "Nossa, tô muito bêbado!", "Quem bebe em plena quarta-feira???", "Pessoas que bebem de segunda à segunda me add". Preciso confessar que isso irrita um pouco mesmo, mas já já eu falo o que eu faço quanto a isso, vamos seguindo.

Existe também outra forma de pedir Biscoito na Internet, que é ser do contra. Há, de fato, as pessoas que são do contra sobre muitas coisas. Stranger Things, Futebol, divas Pop, BBB. Porém, quem é contra mesmo não gosta de discorrer sobre o assunto, justamente por ser contra. Pra que você vai ficar falando sobre o que não gosta, não é mesmo? Pois bem, é isso que muita gente tem feito, o que não me entra na cabeça! Por exemplo: semana passada o Spotify disponibilizou toda a discografia da girlband Rouge, e a galera foi ao delírio! Postando prints dos álbuns, do que estava ouvindo, fazendo tweets a torto e a direito. Aí chega a galera chata que começa o post com: "Só eu que tô cagando pra Rouge?", ou "Parem de falar de Rouge!", "Ai, não sei pra que esse auê todo com Rouge, elas nem são isso tudo...". E não me entra na mente uma coisa dessas, porque, se você não curte Rouge, não quer saber sobre a banda, não quer falar sobre a banda, por que raios e caralhos vai implicar com quem tá curtindo o momento?! 

Tipo com Stranger Things, eu tomei horror da série porque ficam num falatório demasiado a respeito disso, e numa endeusação para com aquelas crianças que me deu uma gastura tão grande que ainda não vi, e talvez nem veja, a segunda temporada. Foi assim com Demolidor, mas eu me rendi aos encantos da série por causa de Os Defensores, então eu tive um motivo.

Tem também, e esse é um dos piores pra mim, se não o pior tipo, o Biscoiteiro político. Todo mundo aqui sabe que eu não tenho lado político, o que me possibilita observar bem a capacidade que as pessoas têm de falar um monte de merda em nome de seu candidato preferido! Seja da candidata eleita, seja do candidato cujo nome eu me recuso a mencionar, seja do candidato cujo nome começa com Fora (embora eu ache que não tem quem defenda ele, mas vai saber), seja quem é a favor da intervenção militar, é cada bosta que esse povo solta que puta que pariu... Tudo "em nome da moral, dos bons costumes, da família, das crianças pobres na África", e por aí vai. É sempre o mesmo discurso na ponta da língua, só pra ter o que falar, só pra ser visto(a), numa tentativa desesperada de dizer: "EI, GENTE, EU TÔ AQUI, ME NOTA!".

O problema, porém, é conseguir separar o joio do trigo, porque vamos pensar juntinhos aqui: Fala-se muito sobre amar quem você é, o que você é, o que gosta, e por aí vai, aí quando uma pessoa posta uma foto, todo mundo cai matando! Eu mesmo já fiz deboche com quem tava pedindo Biscoito, mas fiquei pensando: "A linha entre querer atenção e baixa autoestima pode ser, e talvez seja, mais tênue do que eu imagino.". É fácil identificar alguns Biscoiteiros e Biscoiteiras, mas e se você for julgar e aquela pessoa realmente sofrer de baixa autoestima e só colocou aquela legenda pra disfarçar o fato de que ela tá tão na merda que não sabe nem se elogiar, se curtir, então ela tenta desviar a atenção com uma legenda meio nada a ver? Eu dou like sim, em foto sem camisa, em foto com roupa, só selfie, de biquíni, e por aí vai, afinal, se a pessoa for bonita, porque não dar uma curtida, né?

Ah, e sobre o que eu faço quando não gosto de determinada coisa, como, por exemplo, Stranger Things? Simples, eu não fico comentando sobre. Comento sobre as séries que eu assisto, as músicas que tenho ouvido, o que eu tenho feito com o coral, o livro que tô lendo; eu comento sobre coisas que eu gosto, tento aprender sobre o que é novo no momento, decido se curti ou não, e sigo a minha vida. Ninguém tá tão interessado assim no que eu penso sobre a nova música da Anitta, ou sobre o programa daquele rapaz que se diz comediante e age feito uma criança na Internet, com piadas machistas, homofóbicas, gordofóbicas, e que ainda assim tem um programa de TV. Se eu não gosto, não quero na minha boca (e isso serve pra muitas, muitas coisas), ou na minha vida. Eu pulo a faixa, eu viro a página, eu sigo em frente (gente, ficou parecendo letra de música!).

Sobre quem pede Biscoito? Eu já disse que dou, mas só quando se trata de foto, porque como eu disse, existem os casos em que eu não sei diferenciar o que é que tá rolando ali na foto, aí eu vou lá, deixo um like de boas (mas depende do meu humor no dia, porque tem dia que eu não aguento rede social nenhuma!), quando se trata de historinha mal contada, post provocativo e suas ramificações, eu passo longe. Não preciso dar ibope pra quem não merece.

E outra, gente, tem tanta desgraça acontecendo no mundo, crise econômica em vários países, fome, doenças, pragas, homicídios, suicídios, roubos, tanta merda rolando, e você vai se deixar abalar porque alguém postou uma foto pedindo like? Sério mesmo? Não, né? Pois eu também não.

É isso por hoje, nós nos vemos na próxima terça. Não sei sobre o que será, talvez um conto de uma parte só, ou o que surgir na minha mente durante a semana. Espero vocês! 

Leia Também:
Leandro Faria  
Glauco Damasceno, do interior do RJ, aparece por aqui toda terça-feira, munido de sarcasmo, mau humor, ironia, café, vinho e cerveja, afinal, ninguém é de ferro. Gosta de passeios na praia e de assistir o pôr-do-sol, enquanto espera Olivia Pope aparecer e recrutá-lo para ser um Gladiador de Terno. Fala umas coisas bonitinhas de vez em quando, mas só de vez em quando!
FacebookTwitter


Nenhum comentário: