segunda-feira, 16 de abril de 2018

Exorcismos e Demônios: Um Terror Bobinho e Esquecível




Desde o sucesso de Invocação do Mal e todas as suas sequências e derivados, os filmes de terror com um tom sobrenatural vem conquistando plateias que não se cansam de tomar sustos no escurinho do cinema. O que não é nenhuma novidade, já que o gênero mantém-se relevante desde que o cinema é cinema, com uma ou outra invenção e fases mais ou menos inspiradas. E, verdade seja dita, raramente surgem obras como Corra! ou Um Lugar Silencioso por aí, que seduzem público e crítica de maneira mais abrangente.

E Exorcismos e Demônios (The Crucifixion, no original), que estreia nessa quinta, 19/04/2018, nos cinemas brasileiros é mais uma história escapista, que se vende como baseado em eventos reais, mas que é, vejam só, até que bastante divertido para um filme bobinho e esquecível.

Na história, acompanhamos os desdobramentos de um exorcismo que dá errado na Romênia quando uma freira é morta enquanto um padre tentava livrá-la de um demônio sem a autorização devida da Igreja. Com a notícia ganhando o mundo, uma jornalista ateia americana parte para a região buscando investigar o caso e desmascarar a farsa do exorcismo. Mas, entre descobertas e flashbacks, a jornalista se vê envolvida em uma história sobrenatural que mudará até mesmo o seu conceito de fé.

Partindo de uma sinopse bem bobinha e genérica, Exorcismos e Demônios tenta a todo custo nos fazer acreditar que parte de uma história real, o que, certamente, nunca será comprovado. É aquela máxima da fé, de que você pode ou não acreditar. Sendo que no caso do filme, pelo menos, a história vem com uma roupagem pop, recheada de sustos e cenas nojentinhas que podem fazer a gente virar o rosto, ficar desconfortável na cadeira, mas que, ao ascender das luzes, será facilmente esquecida. 

Dirigido por Xavier Gens, o longa tem roteiro de Chad e Carey Hayes, os nomes que também assinam as histórias de Invocação do Mal e parecem estar se especializando em dar sustos por aí. Já o papel principal da trama ficou a cargo da bonitinha Sophie Cookson, que é boa em fazer caras de paisagem e em tomar decisões estúpidas  como toda mocinha de filme de terror faz, ao invés de estar correndo e fugindo do perigo. 

Entretanto, por ser um filme de apenas uma hora e trinta minutos, Exorcismos e Demônios acaba sendo eficiente em contar sua história, mesmo com o final boboca que prega que a fé é o caminho para uma vida plena e um pós-vida abençoado. Pois é, o filme não é isentão e muito menos realmente assustador com um final impactante. Mas vale a conferida, mesmo que todo mundo saiba que os exorcismos apresentados no longa sejam tão verdadeiros quanto uma nota de três reais.

Afinal, já aprendemos tem tempos que os perigos da vida real são bem mais aterrorizantes que os que acompanhamos nos filmes de terror. Infelizmente.

Leia Também:
Leandro Faria  
Leandro Faria:, do Rio de Janeiro, 30 e poucos anos, viciado em cultura pop em geral. Gosta de um bom papo, fala pelos cotovelos e está sempre disposto a rever seus conceitos, se for apresentado a bons argumentos. Odeia segunda-feira, mas adora o fato de ser o colunista desse dia da semana aqui no Barba Feita.
FacebookTwitter


Nenhum comentário: