terça-feira, 28 de agosto de 2018

#BeeeeemBlogueirinho





E aí galerinha, tutupom?

Vocês sabiam que nesta sexta-feira, 31 de agosto, comemora-se o Dia do Blog? E que no dia 20 de março é comemorado o Dia do Blogueiro? E como as datas comemorativas são sempre fontes de inspiração para meus textos, eis que trouxe esse tema tão atual e tão controverso para nós, belê? Mas quem são os blogueirinhos? Onde habitam? O que comem? O que fazem?

Ultimamente (beeeem ultimamente mesmo), temos visto e ouvido com frequência legendas do tipo “Estou bem blogueirinho (a) hoje”. E você? Nunca foi chamado ou se intitulou blogueirinho pelos amigos por gostar de moda em geral e assuntos afins? Se não, atire a primeira pedra! 

Desde que esta expressão "blogueirinho(a)" surgiu (lia muito isso nos comentários das minhas postagens no Instagram, me segue, vai!), vesti literalmente a carapuça e decidi transformar meu espaço pessoal para postar dicas de moda, viagem, culinária e meu dia-a-dia em forma de revista eletrônica. A parada tomou uma proporção tamanha que milhares de perfis passaram a me seguir, se identificar com as postagens, curtir e comentar. Pronto, virei um blogueirinho!

Resolvi pesquisar o significado basilar das expressões blogueiro e youtuber, já que em alguns momentos esses perfis se (e nos) confundem. Vejamos:
  • BLOGUEIRO: pessoa que tem um blog e que publica informações com uma certa frequência sobre qualquer tema. 
  • YOUTUBER: aquela pessoa que possui canal e produz vídeos para o YouTube.
Em nenhum destes conceitos, diz que você só é blogueiro ou youtuber se você tem um número “x” de seguidores. Ainda, se você fecha parceria com lojas, isso também (tecnicamente falando) não seria um pré-requisito para o título. Ou seja, um jogador de futebol só seria jogador se ele joga para um time grande? Não! Então você pode ter um único seguidor e ser blogueiro, uma vez que se propõe a criar e alimentar uma página com características de blog. Já pararam para pensar que hoje os blogueiros famosos já foram o que hoje chamamos de "blogueirinhos"? Atualmente, essa veia principalmente literária de um blog perdeu um pouco desta característica, passando a ser uma ferramenta de negócios, onde você pode vender produtos, ser garoto propaganda ou mesmo somente para ganhar presentes (que tem sinônimo de parcerias no dialeto blogger). E qual o cunho histórico desta expressão que viralizou com uma adaptação à sua real definição como tantas outras hoje em dia?

Pois bem, blogueiro (português brasileiro) ou blogger são palavras utilizadas para designar aquele que escreve em blogues. O universo dos blogueiros (a soma de tudo o que está relacionado a este grupo e este grupo em si) é conhecido como blogosfera. Um blogue (em inglês: blog), nada mais é que a contração dos termos em inglês web e log, "diário da rede". Logo, eu já fazia parte deste mundo antes de transformar meu perfil no Instagram, por ter um blogue em que escrevo periodicamente como um diário virtual, a Revista do Julicoe nós aqui do Barba Feita também somos esse tipo de blogueiro tradicional, pois temos esse canal aqui com vocês, fiéis seguidores. Ou seja, #somosbemblogueirinhos!

Muitos blogs fornecem comentários ou notícias sobre um assunto em particular. Outros funcionam mais como diários online. Mas, um blog típico combina texto, imagens e, por vezes, hiperligações (ou hiperlinks) para outros blogs, páginas da web e mídias relacionadas a seu tema. A capacidade de leitores deixarem comentários de forma a interagir com o autor e outros leitores é uma parte importante e característica de muitos blogues. 

A maioria dos blogs são primariamente textuais, embora uma parte seja focada em temas exclusivos como arte, fotografia, vídeos, música ou áudio, formando uma ampla rede de mídias sociais. Outro formato é o microblogging, que consiste em blogs com textos curtos. A partir disso, os textos, que ao longo do tempo viraram textos curtos, foram tomando forma apenas de legenda para postagens mais visuais, adequando-se cada vez mais ao Instagram, rede social tão popular hoje em dia, voltada para um público que curte muito mais ver, do que ler. Afinal, as pessoas utilizam bem mais os smartphones do que os computadores hoje em dia para se relacionar ou buscar informações, não é mesmo?

Existem diversos tipos de blogs atualmente. E é possível dividi-los em três grandes ramos:
  • os Pessoais, que são os são os mais tradicionais. Normalmente são usados como um gênero de diário, com postagens voltadas para os acontecimentos da vida própria e as opiniões do usuário. Também são utilizados por celebridades que buscam manter um canal de comunicação com seus fãs;
  • os Corporativos, usados por empresas e coachings;
  • os Temáticos, que possuem um gênero específico, tratando de assuntos dominados pelo usuário. 
Estes são os blogs com o maior número de acessos e que passaram a utilizar o Instagram como plataforma de publicação também. Apresentam conteúdos variados, como moda, culinária, viagens, literatura ou perfis masculinos e femininos (os famosos blogueirinhos e blogueirinhas).

Diante de tudo isso, concluímos que precisaríamos então, modificar nossas hashtags para #bemblogueirinhodemoda, ou #sendoblogueirodeculinária, ou #tipoblogueirodeviagem? Claro que não! Ser blogueiro virou agora um adjetivo. Que na linguagem chata poderia ser traduzido em “aquele-que-mostra-por-suas-postagens-estar-por-dentro-daquilo-que-retrata-ou-expõe”. E antes que me atirem a tal pedra, preciso informar que esse texto é uma mera especulação sobre as minhas experiências, visto que eu não sou profissional especializado para falar que essa descrição aqui está certa ou errada.

Então, caros amigos blogueirinhos, postem o que quiserem, usem as hashtags que quiserem, porque a página é de vocês e ninguém tem nada a ver com isso! Beijos do Blog do Julico (segue lá! 😊).

Ah, se liga, o Barba Feita agora está no Instagram!
Segue a gente lá:

Leia Também:
Leandro Faria  
Julio Britto: carioca, advogado, amante de telenovelas, samba e axé music. Ator nas horas vagas, fã de Nelson Rodrigues e tudo relacionado a cultura trash. É leonino de 29 de julho de 1980, por acaso, uma terça-feira, mesmo dia da semana colabora aqui no Barba Feita.
FacebookTwitter


A opinião dos colunistas não representa necessariamente a posição editorial do Barba Feita, sendo estes livres para se expressarem de acordo com suas ideologias e opiniões.

Nenhum comentário: