quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Beijos: Sem Tabus ou Preconceitos





Lembro da época em que a probabilidade de um beijo entre duas pessoas do mesmo sexo em horário nobre ser visto como o fim do mundo. O triste é que isso pode se enquadrar tanto em 2010 quanto 2018, já que algumas pessoas continuam tendo essa visão, infelizmente. Mas a diferença entre essas duas datas, separados por oito anos, é o fato de que o "temido" beijo já aconteceu em horário nobre e mais de uma vez. Não tantas quanto eu gostaria, mas ainda chegaremos lá. 

Acontece que, diferente do que rolou em Amor à Vida ( 2013 - 2014), quando a Rede Globo exibiu  o seu primeiro "beijo gay" - lembrando que, em 2011, Amor e Revolução, novela do SBT saiu na frente - e protestos foram feitas por toda internet, as tramas que se seguiram receberam meio que um "cartão verde" e incluiram em suas histórias ao menos um par de personagens gays. Em Família (2014), Babilônia (2015), Império (2014-2015), O Outro Lado do Paraíso (2017 - 2018), são alguns exemplos dessas novelas do horário nobre que exibiram ao menos um beijo. 

Verdades Secretas (2015), Nada Será Como Antes (2016) e Liberdade Liberdade (2016), tramas tidas como mais "adultas", não tiveram tanta resistência do público. Na verdade, por possuir enredos mais densos, os espectadores do horário estavam mais propensos a aceitar esse ato de carinho entre dois personagens que se amavam ou se desejavam. Mas, 2018 foi o ano de outros horários da emissora carioca explorarem esse mesmo terreno. Malhação - Viva a Diferença (2018) não só exibiu às 17h30  um beijo entre duas personagens do mesmo sexo, como o público fã da novelinha da tarde pediu pelo momento entre Lica (Manoela Aliperti) e Samantha (Giovanna Grigio). 

E ontem, 12 de setembro de 2018, uma trama do horário das 18h também fez dois personagens, que já caíram nas graças do público, terem o momento de carinho e ternura. O beijo entre Luccino (Juliano Laham) e Capitão Otávio (Pedro Henrique Muller) não só fez o público comemorar como foi muito bem aceito. É claro que existiram os comentários de sempre, pessoas que acham que é desnecessário mostrar um beijo entre dois homens em um horário que criança está assistindo... Mas, sinceramente? Esse tipo de pessoa existe e não vai mudar seu "tipo de pensamento" tão cedo. Pelo menos, não enquanto políticos recriminam abertamente nos veículos de comunicação a comunidade LGBTQ+. 

Mas a mudança, queridos amigos, está já está acontecendo.  O nível de apoio e comentários positivos foi muito maior do que essas críticas pontuais. A forma com que o casal foi sendo construído também foi um ponto bem positivo. Na verdade, quando o público compra a trama em que o casal está inserido, o apoio é quase automático. Querem ver o casal que tanto gostam tendo o beijo tão merecido. 

A novela das 19h, O Tempo Não Para, a nova queridinha da audiência, tem um personagem abertamente gay. Será que ainda esse ano veremos em outro horário um beijo? Isso me lembra que em Ti-Ti-Ti (2010 - 2011) um casal gay também ganhou o público e os rumores de um beijo entre eles também teve força, já que os personagens tinham apoio de uma certa parcela da audiência; mas a sociedade não estava preparada naquela época para isso acontecer no horário. Fiquei decepcionado na ocasião, mas foi importante o "debate" nascer ali para hoje em dia o beijo ser visto de uma maneira menos temerosa. 

Como já repeti algumas vezes, não acho que um beijo vá fazer mágicas, mas ele tira o medo das pessoas. E estar acontecendo em vários horários na televisão aberta e no canal de maior audiência do país é uma vitória. Mais um passo de formiga nesse grande e louco Brasil que andamos vivendo.

Ah, se liga, o Barba Feita agora está no Instagram!
Segue a gente lá:

Leia Também:
Leandro Faria  
Silvestre Mendes, o nosso colunista de quinta-feira no Barba Feita, é carioca e formado em Gestão de Produção em Rádio e TV, além de ser, assumidamente, um ex-romântico. Ou, simplesmente, um novo consciente de que um lance é um lance e de que romance é romance.
FacebookInstagram


A opinião dos colunistas não representa necessariamente a posição editorial do Barba Feita, sendo estes livres para se expressarem de acordo com suas ideologias e opiniões.

Nenhum comentário: