segunda-feira, 3 de setembro de 2018

Viver Vale a Pena: Opte Pela Vida





A vida não é fácil. Quase nunca é. Às vezes, em nossas ambições juvenis, fantasiamos em como seremos felizes e realizados no futuro. Só que, surpresa desagradável, a felicidade não é um estado permanente e, aprender a lidar com as frustrações é uma grande parte de ser efetivamente adulto. 

Mas são tantos os pesos que carregamos que, eventualmente, podemos dar pane, tilt, e nosso cérebro deixa de funcionar como efetivamente deveria. As doenças da mente são uma realidade e estão muito longe de ser frescura ou das pessoas estarem tentando chamar a atenção. Eu mesmo, e falo agora da minha experiência particular, tive um quadro de depressão algum tempo atrás. Mas, diagnostiquei que algo não estava legal, procurei ajuda e iniciei um tratamento. Depressão existe e, se você não sabe o que ela é, sinta-se um privilegiado. Mas não diminua a dor de quem pode estar ao seu lado e enfrentando essa batalha que, tantas vezes, a pessoa acha que não conseguirá vencer.

Dito isso, esclareço também que existem níveis diversos de depressão. Existem quadros mais leves e também os mais alarmantes. E, algumas vezes, depressão mata. E o suicídio, segundo dados do Ministério da Saúde de 2015, fica em quarto lugar entre as causas de morte de jovens no Brasil. Outro dado assustador: por dia, no Brasil, 32 pessoas se suicidam.

Entre os gays, o quadro é ainda mais alarmante. Segundo uma pesquisa da University College Cork, da Irlanda, e publicada no Journal of the American Medical Association em 2017,  cerca de 40% dos homossexuais já pensaram, planejaram ou tentaram dar fim à própria vida devido ao fator sexualidade. Entre as pessoas que se identificam como heterossexuais, esse número cai para 15%.

Um erro frequente (e uma postura cruel) de quem vê a depressão e o suicídio de fora, é achar que as pessoas que sofrem desse mal são fracas, sem força de vontade e que, se quisessem, não estariam nessa condição. A depressão é, inclusive, comparada a um cachorro negro, um companheiro constante que nunca abandona o seu dono e que pode acabar minando as suas forças e o levando a uma espiral de desespero. E, assim como um cão real, a doença precisa ser conhecida, abraçada, compreendida e subjugada até que fique completamente obediente ao seu dono. Mas, esse é um trabalho árduo que, muitas vezes, é impossível de ser executado.

Você conhece alguém do seu círculo ou próximo a você que sofre de depressão? Conhece alguém que já tentou o suicídio? A depressão (e o suicídio como causa dela) não afeta apenas a pessoa que sofre com a doença; os amigos, familiares e todos ao redor tem de lidar com as consequências desse desespero, muitas vezes sentindo-se de mãos atadas sem conseguir ajudar a pessoa a sair de um quadro crítico. Entretanto, é possível salvar a vida de um amigo com tendências suicidas se os sinais de aviso não forem ignorados. E o que precisamos saber é que essa pessoa precisa de apoio e que, se identificarmos algum sinal do tipo em alguém, ajuda externa é necessária. O Centro de Valorização da Vida (CVV), por exemplo, deve ser acionado imediatamente, através do número 188, se soubermos de alguém que represente perigo imediato a si mesmo. A página do CVV na internet, inclusive, é bastante interessante e recomendo a todos conhecê-la (clique aqui).

Não à toa, setembro é o mês escolhido pelo CVV junto com Conselho Federal de Medicina e a Associação Brasileira de Psiquiatria para concentrar os esforços na prevenção de suicídios no Brasil. A campanha, iniciada em 2015, é conhecida como Setembro Amarelo e visa aprofundar a discussão das causas do suicídio e focar na prevenção.

Se você sofre de depressão e tem pensamentos suicidas, mas chegou até aqui por algum motivo e está lendo esse texto, saiba que sim, a vida pode ter um sentido. Você é importante, acredite nisso! E existem diversas pessoas que te amam e que sentirão imensamente a sua falta se você optar por abrir mão da própria vida. É difícil falar sobre isso, mas procure apoio em um amigo ou em um dos canais que apontei nesse texto.

A vida é difícil para todo mundo, isso não está em discussão. Mas ela vale muito a pena, de verdade. Confie nisso e saiba que existe uma saída, basta que você se queira ajuda. E você merece ser ajudado! 😊

Ah, se liga, o Barba Feita agora está no Instagram!
Segue a gente lá:

Leia Também:
Leandro Faria  
Leandro Faria:, do Rio de Janeiro, 30 e poucos anos, viciado em cultura pop em geral. Gosta de um bom papo, fala pelos cotovelos e está sempre disposto a rever seus conceitos, se for apresentado a bons argumentos. Odeia segunda-feira, mas adora o fato de ser o colunista desse dia da semana aqui no Barba Feita.
FacebookTwitter


A opinião dos colunistas não representa necessariamente a posição editorial do Barba Feita, sendo estes livres para se expressarem de acordo com suas ideologias e opiniões.

Nenhum comentário: