segunda-feira, 22 de abril de 2019

Sana




Distrito do município fluminense de Macaé, o Arraial do Sana está localizado a 165 kms do Rio de Janeiro e também é conhecido como o “Paraíso das Águas”. Encravado entre morros, o nome faz jus ao local, devido à abundância de córregos, rios e cachoeiras do distrito, lugar de beleza ímpar. E foi esse o meu destino em uma fuga do Rio no final de semana do feriadão, onde relaxei e procurei descansar por três dias em que o sol esteve presente e os dias foram lindos e iluminados. 

Para começar, procuramos hospedagem a acabamos optando pela Pousada Poço da Canoa. Composta por chalés simples, a pousada é bastante agradável e a proprietária, Paula, foi super querida ao corrigir um erro que cometi na hora da reserva: por desatenção, reservei pra uma semana antes da Semana Santa. Felizmente, conseguimos corrigir o equívoco e, por sorte, vagou um dos chalés para o feriado. Ficamos todos felizes, principalmente o Chico, nosso cachorro, que adorou a propriedade e se encantou com o cheiro de grama e do córrego da Glória, que passava atrás da propriedade.

Sem conhecermos a localidade, chegamos ao Arraial do Sana e vimos que o lugarejo é exatamente o que se espera dele: pequeno, que vive basicamente do turismo da região. Os visitantes buscam o Sana para relaxar nas cachoeiras, para respirar ar puro ou simplesmente para fazer nada. A maioria dos turistas, inclusive, tem um ar meio “bicho grilo” e vimos MUITOS adolescentes e jovens com ar de alternativos por lá. 

Leandros & Poço da Gruta
Com uma rua principal, todos os caminhos acabam levando os turistas, em dias de calor como os que pegamos, ao Sítio do Bambu. Propriedade particular, o sítio está localizado dentro de uma Área De Proteção Ambiental (APA) em Sana. Com algumas cachoeiras muito legais e bonitas, você se exercita (nem dá pra chamar de trilha, porque é um caminho muito fácil), se reenergiza e se integra à natureza. Para entrar no sítio se paga uma taxa de R$ 10, e você pode conhecer pelo menos 5 cachoeiras lá dentro: a Cachoeira do Escorrega, o Poço da Borboleta, as Sete Quedas (imagem de abertura do texto, foto de Clair Netto Collares), as cachoeiras do Pai, da Mãe e do Filho, e o Poço da Gruta. 

O lugar é lindo, mas fomos em pleno feriadão, né? Ou seja, gente pra tudo quanto é lado. Acho que, se você prefere calmaria e realmente quer apreciar as cachoeiras sem se preocupar com vuco-vuco e muita gente ao seu redor, os dias e fins de semana normais devem ser os mais indicados. Apesar de termos visto todas as cachoeiras, acabamos ficando mais tempo no Poço da Gruta que, comparativamente às demais, estava mais tranquila e convidativa para um mergulho em suas águas geladas.

Eu não sou muito de curtir meio do mato. Talvez por ter crescido numa cidade pequena e esse ambiente me ser “comum”. Tanto que somente há pouco tempo descobri as delícias de fazer trilhas até mesmo dentro do Rio e ser presenteado com paisagens incríveis. Mas Sana é aquele lugar tranquilo que, se você quiser relaxar, certamente irá aproveitar. E, acredite, sairá de lá cantarolando o clássico de Gabriel, o Pensador, principalmente aquela parte que diz:
“Maresia, sente a maresia, maresia, uuuuuhuuu...”
Entendedores entenderão...

Leia Também:
Leandro Faria  
Leandro Faria:, do Rio de Janeiro, 30 e poucos anos, viciado em cultura pop em geral. Gosta de um bom papo, fala pelos cotovelos e está sempre disposto a rever seus conceitos, se for apresentado a bons argumentos. Odeia segunda-feira, mas adora o fato de ser o colunista desse dia da semana aqui no Barba Feita.
FacebookTwitter


A opinião dos colunistas não representa necessariamente a posição editorial do Barba Feita, sendo estes livres para se expressarem de acordo com suas ideologias e opiniões.

Nenhum comentário: