segunda-feira, 3 de junho de 2019

Carta Para Seguir em Frente




Hoje eu estava no trânsito, começou a tocar Work no rádio e eu lembrei de você. Tenho pensando bastante em você ultimamente. Engraçado como, quando alguém que a gente gosta vai embora, são os detalhes que fazem mais falta. O jeito que você sorria, a forma que você me abraçava pra dormir, as vezes que você dormia agitada e me jogava pra fora da cama e eu ficava te fazendo carinho pra te acalmar (confesso que também era para você parar de me chutar); ou seu cheiro que sempre ficava no travesseiro quando você voltava pra sua cidade. 

Lembro perfeitamente do dia que a gente ficou pela primeira vez. Eu te contei a história da minha vida difícil, depois a gente se beijou a madrugada toda, até o sol raiar. Recordo de ter achado seu beijo muito bom. E por mais que eu tenha dormido com o sol no rosto, foi gostoso dormir abraçado com você… 

Um mês depois que a gente tava junto você me disse que tinha ficado mexida por ter visto o seu “ex” e que era melhor a gente parar por ali. De repente, eu fui obrigado a deixar todos as coisas que eu tinha planejado fazer com você. Você me disse que adorava terraços e eu tinha planejado te levar em alguns, mas não deu tempo. Visitei todos sozinho, na hora do pôr do sol. Queria que estivesse lá pra ver como são lindos. Talvez exista um universo paralelo que, ao invés de sozinho, você vai comigo, me diz que está com frio, eu te abraço pra te esquentar e a gente fica ali, vendo o sol se pôr atrás da imensidão de prédios. Depois a gente vai pra casa e toma aquele vinho que você me deu, e que a gente tinha combinado de tomar junto, que acabou ficando na minha geladeira por meses. 

Sinto muito por você não ter tido homens que te deram valor. Sinto muito por você estar sofrendo por alguém. Não existe nada pior do que ver alguém que você gosta sofrendo e não poder fazer nada. Eu sabia das suas dores do passado e tentei ser o melhor que pude. Você me disse que ninguém nunca te tratou tão bem quanto eu, e me orgulho muito disso: saber que eu consegui te mostrar, pelo menos um pouco, que existem homens que valem a pena. Que enquanto uns vão te machucar, outros estarão dispostos a curá-­la. Que enquanto uns vão te tratar como qualquer uma, outros vão te achar única. Que enquanto uns vão te fazer chorar, outros vão estar sempre dispostos a te fazer sorrir, só para ver esse seu sorriso que eu sempre achei lindo. 

A gente esteve junto no pior momento da minha vida, cheio de preocupações, de incertezas, e você foi algo bom no meio disso tudo. Foi um ponto de luz no meio da minha escuridão. Aquele luminária do Rei Leão que eu te dei, seu desenho preferido, quando a gente nem tava mais junto, foi a forma que eu encontrei de retribuir isso, de ser um ponto de luz no meio da sua escuridão, de cuidar de você mesmo de longe. E também de dizer obrigado por tudo. Obrigado por ter me acalmado com seu abraço, por ter me feito rir mesmo cheio de coisas na cabeça, por ter me feito esquecer dos problemas pelo menos por algumas horas. 

Infelizmente você escolheu seguir seu caminho separado do meu. Só peço que lembre de mim sempre que possível. Lembre da forma que eu te olhava. Das vezes que eu te fiz rir. Das vezes que tomamos banho juntos e você deixava a água absurdamente quente, quase fatal pra seres humanos. Lembre do último dia, que a gente pegou chuva e chegamos encharcados em casa, depois tomamos um banho quente e ficamos embaixo da coberta assistindo ao Oscar. Se quando você lembrar dessas coisas, você der um sorriso, já está bom pra mim. É sinal de que, por mais curta que tenha sido a nossa história, ela valeu a pena. 

Nossa história começou com beijos na madruga e terminou com um beijo de bom dia em uma Segunda-feira. Deve ser porque, talvez, ela tenha sido um sonho curto e bom. Só que chegou a hora de acordar; preciso seguir em frente agora, refazer meus planos e continuar o meu caminho. Mas prometo olhar para trás de vez em quando e sorrir. Vou me perguntar como você deve estar e desejar que esteja muito, muito feliz. 

E sempre que se sentir sozinha ou triste, feche a porta do seu quarto e ligue a luminária que eu te dei. Eu estarei ali, com você, te abraçando e dizendo: “Hakunamatata.”

 “Tudo que é bom, dura o tempo suficiente para ser inesquecível.” ­
Fernando Pessoa
Leia Também:
Leandro Faria  
Caíque Nogueira, ator e publicitário. Gosta de experimentar tudo que a vida tem a oferecer. Conhecer novos lugares, novos sabores e novas pessoas, de todos os tipos e lugares. É escritor por persistência, poeta por senciência e romântico de nascença! Caíque é o criador e escritor do blog Inexorável.
FacebookTwitter


A opinião dos colunistas não representa necessariamente a posição editorial do Barba Feita, sendo estes livres para se expressarem de acordo com suas ideologias e opiniões.

Nenhum comentário: