terça-feira, 30 de julho de 2019

Eu Sou Leonino, Mores

Eu sou leonino, amores, desses que gosta de passar e deixar o rastro do perfume. Coração imenso, orgulho igual. Me viro pra ajudar quem eu amo, mas não esqueço quem me trata com ingratidão. Tenho por defeito chamar atenção. Defeito? Esse é meu jeito sem perceber. Falo alto, gargalho mais alto ainda, tenho sempre uma história pra contar e pouco conhecimento sobre limites. Quando vejo, já extrapolei de novo.

Eu sou leonino, queridos, desses que ama com intensidade e sente demais… Sinto tudo, sinto muito, sinto tanto que dói. Sinto daquele jeito que demora a passar. Mas quando passa? Ah, ai passou… Podem te contar da minha lista de ex namorados, podem te falar que tive até muitos, mas nenhum deles pode falar que não me atirei de cabeça em todas as vezes. Que não fui presente, coisa e tal. Eu sou feito de momentos. Mas não tente me prender em um momento ou em uma história. Já tentou colocar um leão na coleira? A gente fica onde quer e porque quer. 

Eu sou leonino, mores, e isso quer dizer bem mais de mim do que eu gostaria. Se eu for perder, me descontrolo, depois percebo que eu nem queria e não era pra tanto. Sigo o sol, sou guiado pela chama de uma vela. Fogo e paixão tudo num emaranhado, só sei amar assim. Gosto de pedir mais, não sei receber menos. Vão te falar que sou descontrolado, vão te contar que não sei a hora de parar. Eles não entendem: eu sou leonino, amor! E pra esse povo que não é de leão, o show só acaba quando nós terminamos. 

Rei de tudo, nasci com o sol me dizendo isso. Não aceito pouco, não aceito troco. O que é meu é meu e eu só divido se me interessar. A razão é inimiga da incoerência, me dizem, e eu nunca consigo escutar. Afasto quem me causa desconfiança, intuição afiada de quem conhece o próprio reino.

E se eu insisto no querer, esquecendo da razão, não pense que é falta de amor próprio; é que eu sou de leão. Se por onde eu passo me mostro e volto pra mim toda a atenção, não é só vaidade, eu nasci de leão. Se eu morro de amores, mês sim e outro também, não se espante com minha vontade, eu sou leonino, meu bem.

Leia Também:
Leandro Faria  
Julio Britto: carioca, advogado, amante de telenovelas, samba e axé music. Ator nas horas vagas, fã de Nelson Rodrigues e tudo relacionado a cultura trash. É leonino de 29 de julho de 1980, por acaso, uma terça-feira, mesmo dia da semana colabora aqui no Barba Feita.
FacebookTwitter



A opinião dos colunistas não representa necessariamente a posição editorial do Barba Feita, sendo estes livres para se expressarem de acordo com suas ideologias e opiniões.

Nenhum comentário: