segunda-feira, 12 de agosto de 2019

Years And Years: O Futuro Já Começou e Não é Nada Animador





Parece que a HBO não veio para brincadeira com as suas produções nesse ano de 2019. E se a temporada final de Game of Thrones não agradou a todos, a emissora está colhendo elogios diversos de público e crítica graças às tramas de Chernobyl, Euphoria e, agora, Years and Years que, ouso afirmar, é simplesmente a melhor produção para a televisão desse ano.

Criada por Russell T. Davies (que também criou a Queer as Folk original britânica e comandou a volta de Doctor Who em 2005), Years and Years é focada na família Lyons que, apesar de suas divergências, formam aquela família padrão e bonitinha, em que todo mundo se mete na vida de todo mundo e onde o amor prevalece. O que é interessante, porém, é a forma como a história é narrada, já que ela é uma espécie de distopia, mas plenamente plausível, se iniciando em 2019 e seguindo por 15 anos no futuro, com desdobramentos possíveis, principalmente ao analisarmos a atual situação política mundial.

E assim, no decorrer dos episódios da série, vamos acompanhando aterrorizados os anos correndo e como os acontecimentos mundiais incidem sobre essa família que aprendemos a amar e a odiar na mesma intensidade. Porque uma coisa bem legal é que ninguém é 100% uma coisa só na história. Todos os personagens podem nos surpreender exatamente por serem humanos, por seus "erros" e "acertos". 

Fora a engenhosidade da história e do roteiro, que interpretações! Não há um só ator fora do tom na série, e é impossível não citar os nomes dos atores que dão vida à família Lyons: Anne Reid (Muriel), Russell Tovey (Daniel), Rory Kinnear (Stephen), Ruth Madeley (Rosie), Jessica Hynes (Edith) e T'Nia Miller (Celeste) estão magníficos. Sem deixar de citar, é claro, Emma Thompson, que faz de Vivienne Rook uma figura política grotesca, do tipo que fala o que "pensa" e agrada ao público com sua "sinceridade" e vontade de "mudar as coisas que estão por aí". Deu pra entender?

Years and Years é didática em seus seis episódios. Explica bem explicadinho a merda de situação em que estamos nos metendo e pinta um futuro possível e assustador exatamente por causa disso. E a melhor mensagem que a série pode nos deixar é dita pela vovó Muriel no último episódio quando ela aponta de quem é a culpa do mundo se tornar como está: é nossa, só nossa, única e exclusivamente nossa. Dessa geração inteira de merdas acomodados que nos tornamos. 

Que Years and Years nos inspire e nos induza a fazer algo para que os nossos anos à frente sejam um pouco melhores do que os pintados na série. Será que serão?

Leia Também:
Leandro Faria  
Leandro Faria:, do Rio de Janeiro, 30 e poucos anos, viciado em cultura pop em geral. Gosta de um bom papo, fala pelos cotovelos e está sempre disposto a rever seus conceitos, se for apresentado a bons argumentos. Odeia segunda-feira, mas adora o fato de ser o colunista desse dia da semana aqui no Barba Feita.
FacebookTwitter


A opinião dos colunistas não representa necessariamente a posição editorial do Barba Feita, sendo estes livres para se expressarem de acordo com suas ideologias e opiniões.

Um comentário:

Seu BOGA disse...

Seria até bom, Leandro, que a vida fosse tão linear assim...
São muitas as variáveis que não dependem só de nossas atitudes...acidentes, pandemias, atentados, catástrofes naturais...coisas que podem mudar os rumos do mundo em segundos...
Gosto sempre de usar o exemplo do Tratado de Versalhes...que deu fim a Primeira Guerra Mundial. A principio um tratado normal(não necessariamente justo) entre países que venceram uma grande guerra.
Mas e se esses lideres que assinaram esse tratado soubessem que ele iria exercer uma pressão social tão grande sobre a Alemanha que permitiria o surgimento e chegada ao poder(via eleição) do Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães, popularmente chamado de Partido Nazista...
E se esse tratado não tivesse sido tão duro com a Alemanha? E se Hitler tivesse feito sucesso como pintor? E se ele tivesse morrido na primeira gurra quando foi atingido por uma bomba de gás mostarda???
Percebeu???
A vida é feita de SEs....
Amanha, tudo que nos preocupa hoje...podem, simplesmente não ter mais importância...