segunda-feira, 7 de outubro de 2019

The Politician: Todo o Cinismo e Ironia da Nova Série da Netflix





Quem já conhece o estilo de Ryan Murphy vai se deliciar com The Politician, nova produção original com o selo Netflix, há pouco mais de uma semana disponível no catálogo do serviço de streaming. O showrunner é conhecido por carregar nas tintas da ironia em suas obras, muitas vezes beirando o exagero. E o sucesso de muitas de suas produções se deve exatamente a isso e basta citar os nomes Popular, Nip/Tuck, Glee, Screem Queens ou American Horror Story para situar o leitor de quem estou falando. 

Primeira empreitada de Ryan Murphy dentro de seu contrato milionário com a Netflix (foram 300 milhões de dólares investidos no showrunner), The Politician é exatamente o que se espera de uma série com a assinatura de Murphy: cínica, irônica, divertida, mas, por vezes, cansativa. Entretanto, com a genialidade de alguns momentos, principalmente em seu episódio final, a série mostra que vale a investida e a atenção despertada.

O objetivo principal da série é focar na realidade política americana, mas fazendo isso de maneira absurdamente cínica, usando situações absurdas que, por serem assim, nos levam a pensar e, por vezes, a comparar com a nossa própria realidade. Assim, em The Politician acompanhamos o jovem Payton que, adotado por uma família milionária, sonha em se tornar presidente dos EUA. Para isso, precisa de um currículo perfeito tendo como primeiro degrau de seu sonho a eleição do grêmio estudantil, do qual é candidato a presidente.

Com um retrato cruel da sociedade americana (e o episódio 5, curtinho e inteiramente centrado em um eleitor indeciso é espetacular por mostrar a mediocridade do cidadão médio branco americano - que podia facilmente também ser uma metáfora para um bolsominion, mas divago), The Politician faz rir (de nervoso) e é provocante.

Com um elenco afinado (e por vezes exagerado, como é característica da direção de Murphy e sua trupe), que inclui as presenças ilustres de Gwyneth Paltrow, Jessica Lange, e Bette Midler, e um texto envolvente, a série é diversão de alto nível. Mas é impossível falar da série sem elogiar o seu protagonista Ben Platt que rouba a cena e convence no difícil papel de Payton Hobart.

Já o texto da série, não poupa ninguém e, se você é um adepto da proteção da tradicional família brasileira, passe longe da produção. Aqui há diversidade, com personagens bizarros, mas de todas as etnias e orientações sexuais possíveis. 

Provocante, The Politician diverte, mas realmente cresce em seu último episódio, que muda totalmente o cenário da história, ousando inclusive na abordagem de um final de temporada, que promete muito para o que há de vir. Aguardemos!

Leia Também:
Leandro Faria  
Leandro Faria:, do Rio de Janeiro, 30 e poucos anos, viciado em cultura pop em geral. Gosta de um bom papo, fala pelos cotovelos e está sempre disposto a rever seus conceitos, se for apresentado a bons argumentos. Odeia segunda-feira, mas adora o fato de ser o colunista desse dia da semana aqui no Barba Feita.
FacebookTwitter


A opinião dos colunistas não representa necessariamente a posição editorial do Barba Feita, sendo estes livres para se expressarem de acordo com suas ideologias e opiniões.

Nenhum comentário: