segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Fui Banido do Tinder




Sempre fui muito ligado em redes sociais. Nos primórdios da internet, quanto tudo isso aqui era capim e eu comecei a me aventurar por esse mundo fantástico da vida online, eu fazia amigos (e outras coisinhas mais) no Bate Papo UOL e trocávamos nossos usuários no ICQ. Na época da internet discada, era depois da meia-noite e por meio do pai dos atuais comunicadores que a gente se divertia.  

O tempo passou e vieram outras ferramentas de comunicação. Do ICQ a galera migrou para o MSN. Até que surgiu a primeira rede social que bombou no Brasil: o Orkut. E o Fotolog. E o Facebook. E o Instagram. E se muita gente usa as redes sociais para arranjar encontros e para conhecer pessoas, o que dirá dos aplicativos de pegação relacionamento, não é mesmo?

Tinder. Grindr. Scruff. Badoo. Hornet. Feeld. 3Fun. Tem de tudo e para todos os tipos de encontro que você deseja. E eu confesso: uso vários e já me diverti muito graças a eles. Porque é tão simples, né? Você tem nas mãos um verdadeiro cardápio de possibilidades. Basta mandar um oi, trocar algumas informações e partir pros finalmente. Ou para um café. Ou para um date mais elaborado. Cabe a cada um decidir como usar e se comportar nesses apps e, sinceramente, se alguém julga o que você está fazendo online, melhore e troque de amigos.

E é aqui que começa a minha história. Desde que entrei no Tinder, eu já conheci muita gente pelo app. Alguns ficaram na minha vida como bons amigos e eu até cheguei a namorar com alguém que conheci ali. O simples fato de deslizar para lá ou para cá, escolhendo quem mais lhe agrada à primeira vista e, posteriormente, engatando uma conversa com possibilidades, sempre me soou divertido e com bom potencial. Até que, um belo dia, puft, não consegui mais entrar no Tinder.

Sabe quando se está naquele período de ócio e, depois de olhar as conversas no WhatsApp, checar fotos no Instagram e olhar o Facebook você pensa em uma potencial pegação e entra no Tinder? Pois é, foi mais ou menos assim. Acessei o app e, surpresa, surgiu para mim a seguinte mensagem:
Sua conta foi excluída - Seu perfil do Tinder foi excluído devido à atividade que violou nossos Termos de Uso.
E foi então que eu fiz cara de: Como assim??? Eu sou tão objetivo em apps e redes sociais. Não faço tipo, não crio personagens, deixo claro o que busco e o que não busco. E, se no desenrolar de alguma conversa eu perco o interesse, aviso e digo que não é o que estou procurando. E mesmo assim fui banido do Tinder. E, claro, isso gerou uma dúvida e uma pulga atrás da minha orelha: o que caralhos eu fiz?

O Tinder simplesmente bloqueia a conta e não te dá chance de questionar o motivo. Em pesquisas aleatórias pela internet, descobri que se eu quiser voltar pra pegação vida social no app, eu tenho que trocar de número de telefone e email e fazer um novo cadastro. Com burocracia, trabalhamos e, convenhamos, nunca farei algo do tipo, tenho preguiça. O que pega, repito, é a curiosidade do que eu posso ter feito para ter me tornado persona non grata em um lugar em que eu conseguia tantas satisfações carnais de maneira rápida.

Foi então que alguns amigos me cantaram uma bola. Eu tenho o hábito de, depois de avisar que não estou interessado, desfazer o match, como todo mundo. Mas, minha memória é um queijo suiço e, algumas vezes, eu dei match novamente com quem eu já havia desfeito o match inicial. Ok, ok, erro de principiante, eu sei. Mas ninguém dá match no Tinder porque a pessoa é incrível como ser humano, né? Ali a gente é fútil mesmo e escolhe o rostinho bonito que mais lhe agrada. Ou seja, se dei match de novo com alguém que eu já havia dado antes, é sinal que sou coerente, apesar de esquecido. O que me disseram, entretanto, é que alguém com quem eu talvez tenha rompido um match se aproveitou da minha memória pobre e me denunciou na segunda vez que o fato aconteceu. Por padrão, o Tinder bloqueia o usuário e pronto, acabou a brincadeira. Ou seja, pessoas vingativas, elas estão ao nosso redor. 

E assim, com dúvidas sobre o que realmente aconteceu, estou em abstinência. Sem poder deslizar para lá e para cá e colecionar os meus matches. Sem conhecer gente louca e gente legal. Sem os meus contatinhos que colecionei durante todos esses anos no Tinder e que nunca ganharam upgrade pro meu WhatsApp. 

So sad. E, juro, completamente inocente nessa história. Eu acho, pelo menos. 

Leia Também:
Leandro Faria  
Leandro Faria:, do Rio de Janeiro, 30 e poucos anos, viciado em cultura pop em geral. Gosta de um bom papo, fala pelos cotovelos e está sempre disposto a rever seus conceitos, se for apresentado a bons argumentos. Odeia segunda-feira, mas adora o fato de ser o colunista desse dia da semana aqui no Barba Feita.
FacebookTwitter


A opinião dos colunistas não representa necessariamente a posição editorial do Barba Feita, sendo estes livres para se expressarem de acordo com suas ideologias e opiniões.

Nenhum comentário: