sexta-feira, 24 de maio de 2019

Nada Se Cria, Tudo Se Copia




Todo mundo deve se lembrar do Velho Guerreiro Chacrinha e seus bordões “Alô, Terezinha!”, “quem não se comunica se trumbica” e “eu não vim aqui para explicar, eu vim aqui para confundir”. Mesmo para quem não viveu a divertida época de seus extravagantes programas de auditório com os calouros, suas “buzinadas” e o tão famoso “troféu abacaxi”, conhece o pernambucano Abelardo Barbosa, considerado um dos maiores comunicadores da televisão brasileira, que morreu aos 70 anos em 1988, três meses antes da chegada do primeiro teste da internet no Brasil. 

Chacrinha repetia uma frase sensacional, provocando, com sua incontestável ironia, o próprio meio onde estabeleceu sua trajetória de sucesso: “na TV, nada se cria, tudo se copia”. Hoje, com as mídias sociais online totalmente estabelecidas na rotina da humanidade, o Velho Guerreiro teria um prato cheio para que pudesse explorar.

terça-feira, 21 de maio de 2019

Acredite: Você é Mais Forte que Seus Obstáculos!





As histórias de gente interessante e de grandes feitos no mundo, são histórias de superação e de vitórias sobre grandes obstáculos.

Se você trabalha, terá dificuldades no trabalho.

Se é casado, terá dificuldades no casamento.

Se tem filhos, terá dificuldades com os filhos.

É preciso aceitar que os problemas fazem parte da vida. E eles não são exclusividade sua. Servem para contribuir com a nossa evolução como seres humanos. Quando algo de errado acontece na nossa vida, costumamos analisar o problema tão-somente sob o nosso míope ponto de vista. Consideramos apenas que nossa realidade piorou em relação ao que estava antes.

segunda-feira, 20 de maio de 2019

Será?




"It's not right, but it's okay
I'm gonna make it anyway..."

Fechei os olhos, senti a música e cantei a plenos pulmões. Pela primeira vez em algumas semanas, eu deixava tudo extravasar. Naquela festa, no primeiro lugar em que fomos juntos depois que nos conhecemos, eu olhava tudo como se eu não estivesse ali, analisando e pensando: "qual seria o comentário se ele estivesse aqui?".

E eu ri sozinho. Porque sabia exatamente qual seria o comentário e o desconforto e o incômodo. E ri me lembrando que foi na saída daquela festa que tivemos o primeiro desentendimento, a primeira briga e a minha primeira promessa de que "não, não mesmo, nunca mais". Tolinho eu. Tolinhos nós. 

sexta-feira, 17 de maio de 2019

Ensaio Sobre a Cegueira





Semana passada fomos surpreendidos por (mais) um vídeo bizarro da titular do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Aves, que virou (mais) uma grande chacota entre outras dezenas. No vídeo, cantarolando em tom debochado o tema principal de Elsa, do longa de animação Frozen, a ministra sustenta uma afirmação que a personagem da Disney vive sozinha por ser lésbica.

- Sabe por que ela termina sozinha no castelo de areia... de gelo? Porque ela é lésbica. Nada é por um acaso. Acredite. Gente, eles estão armado (sic), articulado (sic). O cão é muito bem articulado, e nós estamos alienados. Aí agora a princesa do Frozen vai voltar para acordar a Bela Adormecida com um beijo gay. – declarou, para em seguida concluir sua fala com a absurda suposição de que o filme traria impactos negativos na formação das crianças.

- Isso aqui é muito grave, sabe por que, gente? Eu fui menina e sonhei em ser princesa. Eu sonhei com meu príncipe encantado. A gente está abrindo uma brecha na cabecinha da menina de três anos para sonhar com princesa. Isso aqui é indução. - finalizou.

quinta-feira, 16 de maio de 2019

O Choro é Livre




Você já sentiu suas lágrimas presas na garganta? Não é bem na garganta. É como se as lágrimas estivessem prestes a cair, os olhos começando a arder e a garganta começando a fechar... Mas você trava tudo e não deixa isso acontecer. 

Relatar o choro é tão pior quanto chorar de fato. É racionalizar algo que nosso corpo faz e nossa alma se livra. Bonita essa reflexão. Acho que terei orgulho dela no futuro. Mas o caso é que estou com um choro preso. Meio entalado e meio saindo aos poucos... Não sei bem explicar como isso acontece, mas é como se a qualquer momento fosse abrir a torneira e seria nada mais que água salgada por todos os lados e um rosto inchado. 

quarta-feira, 15 de maio de 2019

Diego Hypolito Quer Falar Uma Coisa




Fomos surpreendidos na última semana com uma carta aberta de Diego Hypolito sobre sua sexualidade. Para muitos, poderia não ser surpresa o fato de Diego ser gay. Mas não deixa de ser surpreendente o seu comunicado a todos, como forma de se libertar de algo que o estigmatizava e o perseguia desde que ele se tornou famoso. Afinal, muita gente já imagina que ser ginasta "é coisa de viado" - ainda mais Diego, que sempre teve trejeitos que poderiam ser considerados mais afeminados, algo que acaba sendo marginalizado até mesmo no meio LGBT.

Logo após o texto de Diego circular e tomar a imprensa e a internet, começou uma série de piadas nas redes sociais a respeito de sua saída do armário. Muita gente ironizando, dizendo que não era segredo para ninguém, que ele não conseguia esconder nada sendo do jeito que era... E esses comentários vindos, principalmente, de LGBTs. Ok, ele pode parecer gay desde sempre aos olhos da sociedade em que vivemos (moldada nos parâmetros do machão inveterado), ainda mais entre outros gays, que têm maior facilidade de identificar semelhantes. Mas, sem dúvida, é nosso dever respeitar o processo de aceitação de cada um com a sua sexualidade. A verdade bate à porta de cada um no momento certo.

terça-feira, 14 de maio de 2019

Encontrando a Inspiração Na Falta Dela Mesma





Todos nós já ficamos, ao menos uma vez, na frente da tela do computador, sem conseguir escrever nada e nem pensar em nada que nos inspirasse. Às vezes, esse pensamento vago acontece também no nosso dia-a-dia: você se vê no trampo, olha a tela em branco, lembra-se de dar uma resposta num dos tantos e-mails, volta e encontra a mesma tela em branco. E ao final se vê num comportamento desesperador de se escrever qualquer coisa porque não aguenta mais aquela falta de ideias?

Às vezes, em nossas rodas de conversas virtuais daqui do Barba, falamos sobre isso. Afinal, haja conteúdo para se apresentar uma vez por semana, além dos compromissos com o trabalho, com casa e outras tarefas de nossa rotina. Mas o que quero trazer à reflexão hoje não é exatamente sobre os textos que tenho o compromisso de produzir semanalmente, mas a falta de inspiração que, às vezes, nos consome no decorrer da vida.