quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Quando Ser Bom em Algo Não Basta




Estava querendo falar sobre uma peça incrível que li recentemente, mas isso vai ficar para depois. Hoje preciso desabafar um pouco e até me entender enquanto profissional. Talvez seja até algo que você, querido leitor, já passou em algum momento e possa conversar comigo nos comentários.

Às vezes, a gente saber que é bom em determinada função atrapalha mais do que ajuda. Ao menos é o que acho. Porque é quando a cobrança por determinado trabalho ou resultado é mais interna do que externa. Se sabemos fazer algo, queremos fazer muito bem feito. Só que nem sempre é possível alinhar o tempo em que determinada demanda precisa ser entregue X nosso desejo de perfeição com determinada coisa. E hoje isso me frustra.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Ralph, a Internet e Uma Lição Sobre Relações Humanas




Nessa época do ano, o cinema fica cheio de opções - seja por causa das férias ou por conta da proximidade com premiações importantes, como o Oscar. E uma das mais esperadas continuações - ao menos para mim, fã de animação - chegou logo nos primeiros dias de janeiro às telonas: WiFi Ralph - Quebrando a Internet. Eu, logicamente, fui conferir no último fim de semana e tive, digamos, um misto de sentimentos quanto ao filme.

Detona Ralph é uma das minhas animações mais queridas. É daquelas que não esperam concorrer a melhor filme do ano, mas que trazem uma bela história e personagens extremamente carismáticos. Eu amo várias das animações da Disney e da Pixar, desde Toy Story (Monstros S.A., Os Incríveis - 1 e 2 - e Procurando Nemo estão entre as minhas favoritas) e acho que o caminho encontrado para agradar crianças e adultos, falando de sentimentos básicos, é uma das coisas que mais me atraem ao cinema hoje em dia.

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

Essa Tal Felicidade...



“A vida tem sons que pra gente ouvir
Precisa aprender a começar de novo
É como tocar o mesmo violão
E nele compor uma nova canção.”

Ouvindo no Spotify dias atrás a canção Começo, Meio e Fim, do grupo Roupa Nova, me inspirei para escrever o texto de hoje. Tenho percebido que minhas últimas postagens andam bastante sentimentalóides.... Às vezes, acho que estou virando praticamente um colunista de autoajuda rs. Mas desde o último trimestre do ano passado, quando mudei de departamento dentro da empresa que trabalho depois de 20 anos atuando na mesma área, passei a ir e voltar para casa andando, voltei a fazer teatro e casei, venho refletindo sobre meu estado de felicidade.

Sem parecer demagogo, às vezes me pego sorrindo. Estou realmente satisfeito com a vida que construí até aqui. E qual a fórmula para isso? Não sei. Só sei que me sinto plenamente feliz. É claro que não tenho uma vida de comercial de margarina. Continuo tendo problemas para liquidar por completo minha fatura do cartão de crédito e domar a minha compulsão por roupas e sapatos. Algumas contas ando pagando com um mês de atraso e as contendas familiares estão até abrandadas, mas quando surge uma... Nossa! Mas isso não tem me deixado triste ou infeliz. 

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Pop Séries: Dawson's Creek





Amadurecer não é tão simples quanto pode parecer. Deixar a adolescência de lado e tornar-se adulto tem muito a ver com auto-conhecimento e aprendizado. E muito do sucesso de Dawson's Creek vem do fato de que foi uma série que falava com os jovens de forma coerente e real. 

Criada pelo roteirista Kevin Williamson (que incluiu muito de sua própria biografia nos personagens), a série trata de temas simples e pueris, mas que na adolescência ganham proporções assombrosas. Assim, assuntos como primeiro amor, sexo e futuro são abordadas com uma sutileza poucas vezes vista em séries juvenis até então. 

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

O Homem Que Caiu na Terra




Essa semana comemorou-se mais uma Bowie Week, uma semana com o intuito de relembrar David Bowie, que morreu em Nova Iorque no dia 10 de janeiro de 2016, dois dias após do seu 69º aniversário e do lançamento do 25º álbum, Blackstar

Ainda lembro exatamente de quando soube de sua morte. Antes de dormir, eu estava ouvindo o então recém lançado último disco e dei um pause para acessar no YouTube o clipe de Lazarus. Nele, Bowie aparece muito abatido tentando se libertar de uma cama de hospital. O cantor é mostrado com ataduras no rosto e botões pregados nos olhos, simulando costumes ancestrais.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

Marie Kondo Pode Mudar Sua Vida




Quando me deparei com o livro da Marie Kondo, lá em 2015, fiquei bastante curioso e interessado no que ela tinha para dizer sobre técnicas de arrumação, mas acabei não comprando na época. Fiquei com medo de ser um daqueles livros que começo mega interessado e acabo deixado de lado e vai acumulando poeira em cima. Só que com o passar dos anos, alguns amigos falavam maravilhas do livro e de sua criadora. Kondo mudou vidas, sério.

Corta para o início de 2019 e eu navegando pela Netflix em pleno final sexta-feira à noite e me deparando com a nova série sobre organização com Marie Kondo. Em uma mistura de reality show comportamental com as técnicas ensinadas em seu livro, o programa prende e nos faz ficar envolvidos com a vida de pessoas que nunca vimos antes e dá uma vontade absurda de sair arrumando a casa e ficar só com aquilo que nos faz feliz.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Westworld e Bandersnatch: O Que Há em Comum?




Duas produções para TV a que eu recentemente assisti foram a série Westworld, da HBO, e o telefilme Bandersnatch, "episódio" especial da cultuada Black Mirror para a Netflix. Na verdade, Westworld tinha um tempinho que eu estava acompanhando, mas encerrei a segunda e, até o momento, mais recente temporada nas últimas semanas. E Bandersnatch foi visto no afã de testar a nova experiência do streaming, ao conduzir um filme pela primeira vez com escolhas do próprio expectador.

A série se passa num futuro longínquo, enquanto o filme é ambientado na década de 80, mais precisamente em 1984 (ano de nascimento deste colunista que vos fala e imortalizado por George Orwell). Porém, as duas produções guardam similaridades e críticas que se cruzam e convergem em vários momentos.